Pages

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Educação Emocional - entrevista com José Policarpo Jr.

Disponibilizamos mais uma entrevista com o prof. José Policarpo Jr., desta feita sobre o tema Educação Emocional, realizada pela profa. Cecília Costa no Programa Realidades da UFPE, em 17/11/2013.

A entrevista está dividida em três blocos, bastando clicar em cada um deles abaixo para ter acesso ao áudio:

1a. Parte          2a. Parte          3a. Parte

sábado, 31 de agosto de 2013

Mais uma tese sobre Formação Humana

No próximo dia 6 de setembro, às 14:00h, no Programa de Pós-graduação em Educação do Centro de Educação da UFPE, dar-se-á mais uma defesa de tese sobre a temática da Formação Humana. Trata-se da tese de Lavínia Ximenes, intitulada "A Promoção da Formação Humana no Processo de Formação Acadêmica do Educador".

A tese analisa a formação do educador nos cursos de Pedagogia, focalizando o curso ministrado na UFPE. São analisadas as diretrizes nacionais, o projeto político-pedagógico e a estrutura curricular do referido curso; além disso são entrevistados alunos iniciantes e concluintes e professores do curso.  O objetivo da tese é verificar até que ponto a formação do educador se estrutura de modo a promover a formação humana, ou se tais processos encontram-se em rotas divergentes. Para isso, a autora fundamenta uma compreensão da formação humana que se realiza nos âmbitos social, cultural, pessoal e interpessoal.

A tese ainda se caracteriza pela utilização de metodologias qualitativa e quantitativa, de acordo com os dados analisados.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Entrevista e Painel sobre espiritualidade, formação humana e educação

No mês de maio de 2013, a TV e Rádio Universitária da UFPE realizaram dois programas sobre os temas da espiritualidade, formação humana e educação.

Na TV, no programa Opinião Pernambuco, o jornalista Haymone Neto realizou e dirigiu um painel com os professores Marcelo Pelizzoli e José Policarpo Jr., sobre a temática da espiritualidade.

Na Rádio, o prof. Marcelo Pelizzoli, que também dirige o programa Realidades, entrevistou o prof. Policarpo sobre a mesma temática.

A seguir estão os links para os referidos programas.


Programa Realidades: 1a parte, 2a parte, 3a parte

domingo, 2 de junho de 2013

Livros sobre espiritualidade e formação humana

Como já foi afirmado anteriormente, o livro O Pensar, o Sentir, o Agir, lançado pelo Instituto em fins de 2011 (efetivamente início de 2012), teve sua disponibilidade para a venda normalizada. Você pode adquiri-lo aqui, ou diretamente na seção de livros do iTunes, se for usuário da Apple.

Em 2013, foi lançado um outro livro fundamental para o entendimento da espiritualidade e sua relação com a formação humana e a educação. Trata-se do livro do Prof. Ferdinand Röhr, intitulado Educação e espiritualidade: contribuições para uma compreensão multidimensional da realidade, do homem e da educação, editado pela editora Mercado de Letras, da cidade de Campinas, SP. O referido livro contém o memorial e o ensaio que o Prof. Röhr apresentou por ocasião de seu concurso para professor titular na UFPE. Trata-se de obra fundamental para os interessados na referida temática.

Os interessados no livro do Prof. Röhr podem adquiri-lo em livrarias ou entrar em contato com o próprio autor por meio do seu endereço eletrônico: frohr@uol.com.br.

Boa leitura.

Bibliografia sobre espiritualidade, educação e formação humana

por José Policarpo Jr.

Fui solicitado por um orientando a apresentar indicações bibliográficas que tratassem da temática da espiritualidade e da educação. Ao me preparar para atender sua solicitação, verifiquei a dificuldade da tarefa não pela ausência de referências importantes, mas pela diversidade de modos de buscar o esclarecimento a respeito do referido tema, o que leva, por sua vez, à quantidade não desprezível de títulos.

Ao buscar atender ao pedido, me dei conta de que solicitações semelhantes já me haviam sido feitas - ocasiões em que fiz indicações de alguns poucos livros de memória. Com o intuito, portanto, de que essas indicações pudessem estar ao alcance de mais vasto número de pessoas, resolvi publicá-las como post neste blog.

Quero esclarecer que obviamente não tenho a menor pretensão de que as indicações abaixo sejam exaustivas e nem mesmo as melhores ou mais adequadas. Faço estas indicações e não outras porque foram estas as que li integralmente (quase todas) ou pelo menos parcialmente (algumas). Em outras palavras, não posso indicar aquilo que não conheço, mesmo tendo lido e ouvido comentários de terceiros sobre outras obras de alta qualidade a respeito da mesma temática. Obviamente, cada um pode aumentar para si mesmo a lista abaixo com outras indicações.

A fim de tornar as indicações mais acessíveis aos interessados, classifiquei-as em subtemáticas que considero centrais e representativas do tema em pauta. Tais subtemáticas são as seguintes:

1.      Compreensão conceitual da espiritualidade
2.      Compreensão da vida pessoal esclarecida pela e comprometida com a espiritualidade.
3.      Compreensão dos obstáculos internos e externos à vida espiritual, e meios de cultivá-la.
4.      Aspectos importantes na relação entre educação e espiritualidade.
5.      Compreensões filosófico-ontológicas da espiritualidade

Algumas referências aparecem em mais de uma subtemática devido ao fato de, a meu juízo, serem representativas de cada uma das classificações apontadas.

Nunca é demais ressaltar que a espiritualidade não se compreende apenas intelectualmente. A espiritualidade é, antes de tudo, algo a ser vivido consigo mesmo, com as pessoas ao nosso redor e com o mundo em que habitamos. A erudição tem seu valor, mas esta se converte em algo estéril, inútil e, no limite, até prejudicial, se não deriva e não se faz acompanhar de um modo pessoal e comprometido de viver espiritualmente.  De modo mais direto, por exemplo, ninguém pode aprender bem o que seja a paciência sem ser capaz de enfrentar a impaciência. Portanto, embora as indicações abaixo sejam um tesouro precioso - pelo menos para mim o são - elas serão inúteis se não se fizerem acompanhar de um coração aberto a acolhê-las e de uma disposição sincera em praticá-las. Além disso, ocorrerá inclusive o fato de muitas delas não serem compreensíveis nem relevantes para aqueles que não busquem pautar suas vidas, mesmo em meio a todas as próprias imperfeições, por tais princípios.

No mais, que algumas dessas leituras sejam úteis àqueles que buscam, entre inumeráveis caminhos, esclarecer suas mentes, seus corações, seu agir.

Boa leitura!


Compreensões conceituais da espiritualidade
Bodri, Willian. (2010). Sócrates y el Camino hacia la Iluminación. Trad.: Miguel Iribarren. Madrid: Gaia Ediciones.
Boff, Leonardo. (1982). O Destino do homem e do mundo: ensaio sobre a vocação humana. 6a. ed. Petrópolis: Vozes.
Herrigel, Eugen. (1975). A arte cavalheiresca do arqueiro Zen. São Paulo: Pensamento.
Kornfield, Jack. (2002). Um Caminho com o coração. Trad.: Merle Scoss e Melania Scoss. São Paulo: Cultrix.
Rama, Swami. (2006). La Elección de um Camino – um lugar de encuentro com uno mismo. Trad.: María Inés Cavagnaro. Buenos Aires: Alhué.
Röhr, Ferdinand (org.). (2012). Diálogos em educação e espiritualidade. 2A ed. revisada.  Recife: Ed. Universitária da UFPE.
Röhr, Ferdinand. (2013). Educação e espiritualidade. Campinas, SP: Mercado de Letras.
Smith, Huston. (2001). As Religiões do mundo: nossas grandes tradições de sabedoria. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (2001). Além do materialismo espiritual. Tradução: Octavio Mendes Cajado. São Paulo: Cultrix.
Wilber, Ken (2006). Espiritualidade integral: uma nova função para a religião neste início de milênio. Tradução: Cássia Nasser. São Paulo: ALEPH.

Compreensão da vida pessoal esclarecida pela e comprometida com a espiritualidade.
Boff, Leonardo. (1982). O Destino do homem e do mundo: ensaio sobre a vocação humana. 6a. ed. Petrópolis: Vozes.
Dalai Lama, XIV, Cutler, Howard C. (2002). A arte da felicidade: um manual para a vida. São Paulo: Martins Fontes.
Dalai Lama, XIV, Goleman, Daniel (orgs.). (2003). Como lidar com emoções destrutivas. Rio de Janerio: Campus.
Dalai Lama, XIV. (2003). O Caminho para a liberdade. Rio de Janeiro: Record: Nova Era.
Fromm, Erich. (2011). El Amor a la Vida – conferencias radiofónicas compiladas por Hans Jürgen Schultz. Trad.: Eduardo Prieto García. Madrid: Paidós.
Kornfield, Jack. (2002). Um Caminho com o coração. Trad.: Merle Scoss e Melania Scoss. São Paulo: Cultrix.
López Quintás, Alfonso. (2003). El secreto de uma vida lograda: curso de pedagogia del Amor y la Familia. Madri: Ediciones Palabra.
López Quintás, Alfonso. (2004). Inteligência Criativa – descoberta pessoal de valores. Tradução de José Afonso Beraldin da Silva. São Paulo: Paulinas.
Preece, Rob. (2006). The Wisdom of imperfection: the challenge of individuation in Buddhist life. Ithaca, NY: Snow Lion Publications.
Rogers, Carl. (2001). Tornar-se Pessoa. Tradução: Manuel José do Carmo Ferreira e Alvamar Lamparelli. São Paulo: Martins Fontes.
Trungpa, Chögyam. (1988). O Mito da liberdade e o caminho da meditação. Tradução: Aníbal Mari. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (2001). Além do materialismo espiritual. Tradução: Octavio Mendes Cajado. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (2003). Shambhala: the sacred path of the warrior. Boston, Massachusetts: Shambhala.

Compreensão dos obstáculos internos e externos à vida espiritual, e meios de cultivá-la.
Dalai Lama, XIV. (2006). Dzogchen: a essência do coração da grande perfeição. São Paulo: Gaia.
Erikson, Erik. (1998). O ciclo de vida completo. Tradução: Maria Adriana Veríssimo Veronese. Porto Alegre: Artes Médicas.
Fromm, Erich. (1976). The Anatomy of Human Destructiveness. New York: Holt, Rinehart and Winston.
Fromm, Erich. (1986a). Análise do Homem. Tradução: Octavio Alves Velho. Rio de Janeiro: Editora Guanabara.
Fromm, Erich. (1986b). Meu Encontro com Marx e Freud. 7a. ed. Tradução: Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Editora Guanabara.
Goleman, Daniel.  (1997). A Mente Meditativa. Trad.: Marcos Bagno. 5ª ed. São Paulo: Ática.
Jung, Carl Gustav (2007). O Eu e o Insconciente. Tradução: Dora Ferreira da Silva. 20. ed.  Rio de Janeiro: Vozes.
Karma-Lingpa. (2002). O Livro tibetano dos mortos: a grande libertação mediante audição no Bardo; tradução para o inglês e comentários de Francesca Fremantle & Chögyam Trungpa. Tradução: Murillo Nunes de Azevedo. Rio de Janeiro: Rocco.
Kornfield, Jack. (2002). Um Caminho com o coração. Trad.: Merle Scoss e Melania Scoss. São Paulo: Cultrix.
Preece, Rob. (2006). The Wisdom of imperfection: the challenge of individuation in Buddhist life. Ithaca, NY: Snow Lion Publications.
Rama, Swami. (2006). La Elección de um Camino – um lugar de encuentro com uno mismo. Trad.: María Inés Cavagnaro. Buenos Aires: Alhué.
Smith, Huston. (2001). As Religiões do mundo: nossas grandes tradições de sabedoria. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (1988). O Mito da liberdade e o caminho da meditação. Tradução: Aníbal Mari. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (2001). Além do materialismo espiritual. Tradução: Octavio Mendes Cajado. São Paulo: Cultrix.
Trungpa, Chögyam. (2003). Shambhala: the sacred path of the warrior. Boston, Massachusetts: Shambhala.

Aspectos importantes na relação entre educação e espiritualidade.
Aristóteles. (1987). Ética a Nicômano. Tradução: Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Nova Cultural.
Biaggio, A. M. B. (2002). Lawrence Kohlberg – ética e educação moral. São Paulo: Moderna.
Cordeiro, Eugênia de Paula Benício. (2012). Formação humana de jovens e adultos: elaboração, implementação e teste de um componente curricular em cursos tecnológicos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - Pernambuco. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de Pernambuco, Recife - PE.
Goleman, Daniel. (2001). Inteligência Emocional: a teoria que define o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva.
Jager, Werner. (2001). Paidéia – a formação do homem grego. Tradução: Artur M.Parreira. 4ed. São Paulo: Martins Fontes.
Kirk III, Robert deVille. (2000) Spirituality and Education: a conceptual analysis. 264f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade de Connecticut, Connecticut.
Mota, Ana Paula Fernandes da Silveira. (2010). Desenvolvimento emocional e relacional na educação infantil: implicações do PATHS e do ACE à formação humana da criança e do educador. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Pernambuco, Recife - PE.
Policarpo Junior, José. (org.). (2011). O Pensar, o Sentir, o Agir: sentidos da formação humana. Recife: Instituto de Formação Humana. E-book. Disponível em: http://www.smashwords.com/books/view/306736
Policarpo Junior, José; Röhr, Ferdinand. (2012). Conceptual Grounding of Education as Human Formation – a Dialogue between Aspects of the Field of Education Itself and the Buddhist Tradition. In: Education, v.2, 195-208. Disponível em: http://article.sapub.org/10.5923.j.edu.20120205.13.html.
Quisumbing, Lourdes. (2002), Values Education for Human Solidarity. In: International Institute on Peace Education. Filipinas. Disponível em: http://www.i-i-p-e.org/docs/IIPE2002openingplenary.pdf. Acesso em: 14 nov. 2011.
Röhr, Ferdinand (org.). (2012). Diálogos em educação e espiritualidade. 2A ed. revisada.  Recife: Ed. Universitária da UFPE.
Röhr, Ferdinand. (2013). Educação e espiritualidade. Campinas, SP: Mercado de Letras.
UNESCO. (1972). Learning to be: The world of education today and tomorrow. Paris: UNESCO. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001279/127914e.pdf . Acesso em: 9 ago. 2010.
UNESCO. (1996). Learning: the treasure within. Available in: http://unesdoc.unesco.org/images/0010/001095/109590eo.pdf. Acesso em 9/08/2010.
UNESCO-APINIEVE. (2002). Learning to be: A holistic and integrated approach to values education for human development, core values and the valuing process for developing innovative practices for values education toward international understanding and a culture of peace. Bangkok: UNESCO Asia and Pacific Regional Bureau for Education. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001279/127914e.pdf.. Acesso em: 9 ago. 2010.
UNESCO-APINIEVE. (2005). Learning do do: Values for learning and working together in a globalized world: an integrated approach to incorporating values education to technical and vocational education and training. Manila: APINIEVE. Disponível em: http://www.unesco-apnieve.edu.au/servlet/web?s=1575730&action=changePage&pageID= 487827200. Acesso em: 9/8/2010.

Para compreensões filosófico-ontológicas da espiritualidade
Atkinson, W. W. (2008). Reincarnation and the law of Karma: a study of the old-new world-doctrine of rebirth, and spiritual. Project Gutenberg Online Distributed Proofreading Team, Ebook-No. 26364, Disponível em: http://www.gutenberg.org/ebooks/26364. Acesso em 3, fevereiro, 2012.
Aurobindo, Sri. (2006). The Life divine. Twin Lakes, WI: Lotus Press.
Dalai Lama, XIV. (2006). Dzogchen: a essência do coração da grande perfeição. São Paulo: Gaia.
Dalal, A. S. (org) (2001). Uma Psicologia Maior: Introdução à Doutrina Psicológica de Sri Aurobindo. Trad.: Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Editora Cultrix.
Karkec, Allan. (2011). A Gênese: os milagres e as predições segundo o espiritismo. Tradução: Evandro Noleto Bezerra. Brasília: Conselho Espírita Internacional. Ebook.
Lovejoy, Arthur O. (2005). A Grande Cadeia do Ser: um estudo da história de uma idéia. Tradução: Aldo Fernando Barbieri. São Paulo: Editora Palindromo.
Röhr, Ferdinand (org.). (2012). Diálogos em educação e espiritualidade. 2A ed. revisada.  Recife: Ed. Universitária da UFPE.
Röhr, Ferdinand. (2013). Educação e espiritualidade. Campinas, SP: Mercado de Letras.
Ubaldi, Pietro. (1999). A Grande Síntese – síntese e solução dos problemas da ciência e do espírito. Tradução.: Carlos Torres Pastorino e Paulo Vieria da Silva. 20ª ed. Campos dos Goytacazes, RJ: Fraternidade Francisco de Assis.

Wallace, B. Alan. (2009). Dimensões Escondidas – a unificação de física e consciência. Trad.: Lúcia Brito. São Paulo: Peirópolis.

sábado, 27 de abril de 2013

Apoi às vítimas da seca no semi-árido nordestino brasileiro

Diante da grave situação social de milhões de pessoas nesta seca de 2013 que assola o semi-árido nordestino, a instituição Ação da Cidadania está desenvolvendo uma campanha específica em apoio aos atingidos.

Há diversas instituições da sociedade civil apoiando esta iniciativa da Ação da Cidadania, entre elas a Arquidiocese de Olinda e Recife e também este Instituto. Os que desejarem participar podem fazer doações em alimentos ou em dinheiro à Ação da Cidadania. Para saber mais a respeito e contribuir, clique no link para a Ação da Cidadania.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Educação emocional: necessidade do século XXI. Entrevista com o Prof. Mark Greenberg

Durante os eventos realizados em outubro de 2012 pelo Instituto de Formação Humana - IFH, a jornalista Mariana Arantes, uma das coordenadoras da equipe de organização, entrevistou o Dr. Mark Greenberg, um dos autores do currículo "Educação Emocional e Relacional para Crianças" publicado em 2012 por este instituto, sobre a importância da educação emocional e sobre sua visita ao Brasil. Além de realizar a entrevista, Mariana Arantes também a traduziu e disponibilizou-a ao IFH.

O Prof. Mark Greenberg é um dos maiores especialistas do mundo em educação emocional e relacional. Ao longo de sua vasta e frutífera carreira acadêmica, tem se dedicado a estudar e a estruturar meios de promover a educação integral de crianças, adolescentes e adultos em diversas cidades dos EUA e do mundo.

A entrevista está em inglês, mas a tradução e transcrição da mesma segue após o vídeo.

Entrevista

Tradução da entrevista com o Prof. Mark Greenberg:

Mariana Arantes: Em primeiro lugar, é um prazer conhecê-lo e recebê-lo aqui no Brasil. Gostaria de agradecer por seu tempo e por ter vindo compartilhar seu conhecimento conosco. Eu sou jornalista aqui no Brasil e estudo na Universidade Federal de Pernambuco. Faço pós-graduação em Educação. Me interesso por Educação Emocional e também por Comunicação. Tenho um profundo interesse em saber porque algumas pessoas conseguem se comunicar melhor do que outras. E um dos problemas que mais ouço as pessoas dizerem é: "Eu não consigo controlar as minhas emoções!". Então, eu pergunto, por quê? Por que é tão difícil? Por que nunca aprendemos sobre como lidar com as nossas emoções, na sua opinião?

Mark Greenberg: A questão da educação emocional é muito interessante. Eu acho que no passado, os meios de regulação da nossa sociedade eram muito diferentes. Vivíamos em locais pequenos, pequenas comunidades e bem estáveis. E se nós não controlássemos as nossas emoções muito bem, as pessoas eram muito prestativas, eram situações fáceis de lidar. Mas agora, vivemos numa sociedade extremamente complexa. E nesta sociedade complexa, as famílias estão se mudando, as escolas estão mudando e as pessoas estão bastante estressadas. Então, não se dá mais tanta atenção ao indivíduo como antigamente. Então, eu acho que parte do problema é devido ao estilo da vida moderna. Mas também é um problema de evolução, pois à medida que nos desenvolvemos como seres humanos, nós nos aprofundamos em nossa vida interior e, portanto, a expressão de nossas emoções se torna mais importante.

Mariana Arantes: Quando trazemos isso para o campo da Educação, este problema parece ser maior. Na sua opinião, quais são as contribuições que os benefícios que a autorregulamentação das nossas emoções trazem para a comunicação entre professores e alunos?

Mark Greenberg: Nós sabemos que as crianças que sabem regular melhor as suas emoções, e nós podemos ensiná-las a fazer isso, lidam melhor com seus amigos e também com seus professores. E também podem aprender mais. O ganho extraordinário disso é que as crianças que lidam com suas emoções com maior eficiência prestam mais atenção. Dedicam-se mais às aulas e dedicam-se mais aos relacionamentos. Então, elas aprendem mais. Existe uma relação direta entre o desenvolvimento emocional, a regulação das emoções e o aprendizado. E por isso, o interesse das pessoas tem aumentado sobre isso. As pessoas querem atingir seus objetivos, isso em relação às metas nas escolas. E agora, as pessoas estão também descobrindo que as crianças que sabem lidar com as próprias emoções aprendem melhor. A educação sobre as emoções tem se tornado mais importante.

Mariana Arantes: Compreendo. E o quão distante o senhor acredita que nós estamos de ter consciência da importância da educação emocional nas escolas?

Mark Greenberg: Eu acho que estamos apenas começando. Há 10 ou 20 anos mal tínhamos evidências que a educação sobre as emoções poderia fazer alguma diferença. Agora, sabemos que pode. Sabemos que os professores aprendem a como falar com as crianças sobre as emoções, que aprendem a ensiná-las sobre com ter mais autocontrole, que também aprendem a ensinar como melhorar seus relacionamentos e sabemos que as crianças aprendem mais. E agora que nós sabemos de tudo isso, estamos começando o caminho do desenvolvimento. Essa já é uma realidade nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Europa, na Austrália, Hong Kong, Singapura… e também está começando a ser na América do Sul. O Peru, por exemplo, já despertou para isso. Eles perceberam que a natureza de sua nação neste século dependerá em boa parte da educação emocional de suas crianças, pois isso facilita a comunicação entre as pessoas, o trabalho em grupo, a resolução de problemas de modo criativo. Esses são requisitos para se comunicar bem e trabalhar intensamente juntos. Ou seja, estamos falando de habilidades para o século XXI, e a educação emocional é uma das mais importantes.

Mariana Arantes: Realmente. Meu interesse no mestrado é descobrir inclusive no Brasil, como os pesquisadores definem esta questão da educação emocional, porque nós achamos muitos termos para falar do mesmo assunto: inteligência emocional, inteligência social ou quaisquer outras palavras similares. Então, uma última pergunta, por favor: Como o senhor se sente com relação ao lançamento da edição brasileira do PATHS?

Mark Greenberg: Isso é muito emocionante! Fiquei bastante impressionado com o imenso trabalho que o Prof. Dr. Policarpo fez para traduzir para o português. Essa é a mais nova edição! Já foi traduzido para o croata, coreano, chinês, espanhol, alemão, muitos idiomas. Mas eu acho que esta versão em português é muito especial porque o Brasil é uma das maiores e mais importantes nações do mundo. O Brasil está se tornando uma nação mais moderna muito rapidamente. Então, ter esta versão em português acho que será muito útil para as crianças brasileiras.

Mariana Arantes: Está bem, mais uma vez muito obrigada pela entrevista. Tenha uma boa estada no Brasil. Foi um prazer.